Gêmeas do Remo em Busca da Medalha Verde

As gêmeas Cláudia e Kátia Alencar querem multiplicar suas ações como ativistas do esporte em favor da preservação ambiental. O aprendizado que tiveram durante a vida dedicada ao esporte despertou o interesse em “pensar” diferente e criar novas alternativas para o desenvolvimento da prática esportiva associada ao cuidado com o meio ambiente.

As irmãs são as idealizadoras do Comitê de Meio Ambiente da Federação Pernambucana de Remo em janeiro de 2012, criando a primeira Federação Esportiva eco-eficiente do país, cujas intenções serão divulgadas no período da Rio +20.

E já foi dada a “remada” inicial: nos dias 2 e 3 de abril foram visitados os clubes de remo de Recife (Sport, Náutico e Liga Pernambucana) onde foi feito um registro fotográfico dos espaços destinados à prática esportiva: sedes náuticas e potencial hídrico. Agora, estarão preparando um material para articulação política e institucional, visando transformar os clubes de remo em unidades esportivas Eco eficientes.

Ao fazer da responsabilidade ambiental uma competência de gestão e sustentabilidade, o Comitê de Meio Ambiente e Sustentabilidade da FPR tem a oportunidade de multiplicar seus esforços gerenciais, ao buscar parcerias institucionais visando a assegurar o financiamento de projetos e a criação do programa Remo Sustentável. Configura-se, desta forma, uma estratégia de vinculação entre esporte, meio ambiente e desenvolvimento sustentável, como legado esportivo na década em que os maiores eventos esportivos globais acontecem no Brasil.

O atleta olímpico pernambucano Cleber Ferraz, é outro nome de peso que abraçou essa causa, e está entusiasmado em colocar sua experiência vitoriosa no remo em prol da defesa do meio ambiente e consequente resgate da modalidade que lhe deu tantas alegrias.  Ele coleciona um número impressionante de títulos. Foi 8 vezes campeão Carioca, 8 vezes campeão Brasileiro, 6 vezes campeão Troféu Brasil, 4 vezes campeão sul-americano e campeão da Regata Eco (pré-olímpica). Além disso, possui também outros resultados de destaque, como a 5ª colocação no Campeonato Mundial em Köln, na Alemanha, 2ª colocação na Regata do México, 6ª colocação na Regata de Piedelucco, na Itália, 10ª colocação na Regata de Lucerna, na Suíça, esta última, valendo como classificatória para as olimpíadas de Barcelona, na qual ele conquistou o 12º lugar.

Ao longo de suas carreiras, as gêmeas foram atletas da seleção brasileira de remo durante 18 anos, passando pelo Clube de Regatas do Vasco da Gama e Clube de Regatas do Flamengo. Marcaram sua história no remo por serem as primeiras mulheres a representar o Brasil em competições internacionais como o Campeonato Panamericano (Winnipeg), Copa do Mundo (Áustria e Alemanha) e Campeonato Mundial (Alemanha). Anteriormente foram atletas da seleção brasileira de pólo aquático, sendo bicampeãs Panamericanas e Sulamericanas (fizeram parte da 1ª. equipe a participar de um Campeonato Mundial Austrália-1990).

Cláudia e Kátia, mulheres pioneiras em suas atividades, almejam ser exemplo de empreendedorismo social, agregando à imagem do remo pernambucano atributos como inovação, tecnologia e ineditismo.

Clique aqui e veja a cobertura da imprensa

This entry was posted in História, Noticias and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta