Clube Internacional do Recife

A primeira grande regata disputada em Pernambuco foi realizada, com muita pompa, na Bacia do Gasômetro. Promovida pelo Club de Regatas Pernambucano, um grande público acompanhou a competição, no domingo 12 de julho de 1885. Nove páreos foram disputados sob aplausos da animada platéia.

A competição organizada pelo Club de Regatas Pernambucano deu frutos imediatos na vida social do Estado, provocando o surgimento de mais uma agremiação no Recife e novas opções de lazer para a população. A idéia inicial era fundar o Club de Regatas Ultramarino. Ou melhor, o clube chegou a ser criado com essa denominação, logo após a realização da festiva regata da Bacia do Gasômetro.

Ainda com o nome de Club de Regatas Ultramarino, seus fundadores, em nota oficial divulgada, chegaram a convocar os associados para a primeira reunião, que aconteceria no dia 17 de julho de 1885, às 15 horas, no prédio do Largo do Corpo Santo 11, primeiro andar.

O Largo do Corpo Santo, onde foi realizada a assembléia deliberativa que deu origem a um dos mais tradicionais clubes da capital pernambucana, não mais existe. Ele estava situado no Bairro Portuário do Recife. No final do século 19, o Clube Internacional foi transferido para a Rua da Aurora, número 265. Somente em 1938 passou a ocupar a sua sede definitiva, no bairro da Madalena.

“Somente após a realização dessa assembléia deliberativa, e dentro de uma profunda discussão sobre o tema, a agremiação passou a ter outro nome, conforme ficou explicado por sua diretoria em uma notícia publicada pelo conceituado ‘Jornal do Recife” do dia 18 de julho:

Clube Internacional de Regatas

“Esta sociedade, que passou agora a denominar-se assim, em vez de Club de Regatas Ultramarino, por fazerem parte dela pessoas de diversas nacionalidades, reuniu-se ontem estando presentes 48 sócios cujo número eleva-se a 125.

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Foi proclamada a mesa que tem de presidir os trabalhos até que sejam aprovados os estatutos, recaindo a escolha nos seguintes senhores:

Presidente – Antônio João de Amorim.

Secretário – Joaquim Alves da Fonseca.

Tesoureiro – João do Livramento.

Também foi organizada a comissão que tem de confeccionar os estatutos, ficando a mesma composta dos senhores José Joaquim Pereira, Manoel Hxghes, Euzébio dos Passos Cardoso, Arthur Dallas e João Victor da Cruz Alfarra”.

O Club Internacional já não era o mesmo. Criado como um clube exclusivamente de remo, aos poucos, foi perdendo a sua identidade inicial. Como primeiro sinal da transformação, veio a troca do nome. Deixou de ser Club Internacional de Regatas e passou a ser Club Internacional do Recife. E isto era apenas um passo.

O esporte aquático, tão apreciado pelos jovens da sociedade, foi trocado por saraus dançantes e jogos de cartas, muito em voga na época. Insatisfeitos, alguns sócios foram se afastando, entre eles Bento Magalhães, e fundaram outra agremiação: o Recreio Fluvial.

O nome tinha uma razão. Os remadores eram justamente os rapazes que promoviam passeios de barcos que começavam no Rio Capibaribe e iam até a Casa de Banhos, Ilha do Pina e Apipucos. Aos poucos eles se organizavam para a concretização de um sonho frustrado no Club Internacional. Iriam ter uma agremiação que realmente promoveria regatas.

Comments are closed.